Natura
cuide de voc

Kazu, J-League e o amor do Japão pelo futebol

Os japoneses amam futebol. Um dos maiores inspiradores é Kazu, o primeiro japonês a jogar no futebol profissional do Brasil.

Por Palmir Cleverson Franco em 29/09/2020 às 20:12:52

O japonês Kazuyoshi Miura, mais conhecido como Kazu no mundo dos esportes, comemorou seu 35º ano como jogador profissional de futebol na temporada deste ano. Todo japonês sabe que Kazu deu seu primeiro passo como jogador profissional no Brasil, o reino do futebol.

Kazu, de 53 anos, é o único japonês que atuou como jogador profissional de futebol por 30 anos no Japão. Ainda adolescente, mudou-se para o Brasil sozinho, onde se destacou e, posteriormente, se tornou uma estrela da J-League, Liga Japonesa de Futebol Profissional.

Seu talento não foi reconhecido em sua juventude no Japão, o que o levou a abandonar o colégio em apenas oito meses para ir em busca de seu sonho, ou seja, se tornar

Jogador de futebol profissional.

Ele desembarcou no Brasil aos 15 anos e já no final de 1982, ingressou no Clube Atlético Juventus, com sede em São Paulo.

Kazu na década de 1980 posa entre dirigentes do Clube Atlético Juventus | Foto: Osvaldo Lemos

Kazu morava em um dormitório perto da sede do clube e trabalhava duro nos treinos. Seus colegas eram todos meninos que apostavam suas vidas no futebol com o sonho de se tornarem profissionais.

Naquela época, por volta dos anos de 1980, o Japão nunca havia participado da Copa do Mundo e era um país subdesenvolvido no que diz respeito ao futebol, uma vez que não existia, nem mesmo, uma liga profissional de futebol.

Mediante isso, a presença de Kazu era bastante questionável aos olhos dos brasileiros, que se perguntavam: "o que esse garoto tem a ver com o futebol no Brasil, vindo de um país como o Japão?"

Embora Brasil é o Japão tenham tenham pacto de amizade, o chamado acordo de relações bilaterais, a mais de 100 anos, o Japão não tinha fama de futebol, portanto, um jogador de futebol de nacionalidade japonesa era considerado "um mau jogador" no Brasil, os chamados "pernas de pau".

Perseverança e habilidade

Mas isso não desanimou o meia-atacante japonês, que teve passagem em vários grandes clubes brasileiros, inclusive o Santos Futebol Clube, time que revelou nada menos do que o rei Pelé, o maior jogador de futebol do mundo.

Kazu defendeu o Santos em 1986 e depois em 1990 | Foto: Creative Commons

Aliás, o habilidoso Kazu foi o primeiro jogador nascido no Japão a jogar no futebol brasileio e único japonês a defender o Palmeiras, do Brasil. Atualmente, ele renovou com o Yokohama FC, da J-League 1, onde joga desde 2005. Com isso, o craque Kazu é o jogador profissional mais velho do mundo em atividade.

Kazu no Yokohama em 2020 | Foto: Reprodução/Yokohama FC

Com o passar do tempo, o futebol se popularizou no Japão, com uma ajudinha de Kazu, claro, uma vez que um jogador japonês conseguiu o incrível intento de se destacar no país do Futebol, ou seja, no Brasil.

J-League e o amor dos japoneses pelo futebol

A popularidade desse esporte no Japão cresceu a um ritmo extremamente rápido, o que levou o país a criar a J-League em 1992, e sua primeira temporada começou no dia 15 de maio de 1993. A liga começou com dez equipes, todas oriundas da antiga Liga japonesa de futebol criada no pós-guerra.

A fundação da J-League levou muitos muitos fãs do futebol aos estádios japoneses, causando uma grande febre no país. Essa época foi denominada "bolha da J-League".

A figura simbólica era o clube Verdy Kawasaki, atualmente Tokyo Verdy, clube fundado em 1969 e que atua na J-League 2 (segunda divisão da liga japonesa).

Na época da "bolha da J-League", havia um grupo de craques com grande número de seleções japonesas, incluindo Ruy Ramos, Tetsuji Hashiratani, Kazuyoshi Miura, Nobuhiro Takeda e Tsuyoshi Kitazawa.

Três anos após o primeiro jogo da liga profissional, o Japão havia subido no ranking internacional e as multidões somavam média de quase 20.000 torcedores por jogo nos estádios.

Torcedores japoneses | Foto: Reprodução/JIJI PRESS

O Verdy Kawasaki se tornou o primeiro campeão da J-League e Kazu se tornou o melhor jogador da liga (MVP). O futebol ganhou impulso ao se aproximar do beisebol, um pioneiro dos esportes profissionais no Japão, chegando, até mesmo, rivalizar com o milenar sumô, o esporte nacional do Japão.

Apostas

O futebol da J-League levou outro apelo para as apostas no futebol, um TOTO japonês. O toto é especialmente popular entre as jovens gerações japonesas.

Nos últimos anos, sites de apostas como betinjapan ou a William Hill também atraíram os japoneses a apostar em esportes, especialmente o futebol.

As empresas de jogos de azar são os principais patrocinadores de clubes de futebol profissional no Reino Unido e na Europa. Os clubes da Premier League receberam um recorde de 349,1 milhões de euros em patrocínio na próxima temporada, um aumento de mais de 10% em comparação com os 315,6 milhões de euros em 2018-19.

As casas de apostas têm acordos de patrocínio com várias das principais equipes de futebol do Reino Unido e da Europa.

A cultura do futebol no Japão floresceu na J-League, que possui mais de 10 milhões de torcedores, enquanto o país cresceu e se tornou a primeira superpotência do futebol da Ásia desde o início da década de 1990.

Nenhum dos times de futebol japoneses tem camisas patrocinadas por casas de apostas ainda, mas isso pode aparecer em um futuro próximo.

Fonte: Mundo Nipo

cuide de voce

Comentários

OBOTICARIO