24/05/2022 (67) 99180-1600

Gastronomia

natura.

Outubro é o Mês do Karê: aprenda a preparar um dos pratos mais amados pelos japoneses

Por Palmir Cleverson Franco 07/10/2021 às 19:58:24

Poucas comidas japonesas são tão reconfortantes quanto o karê raisu –o curry japonês servido com arroz– prato que ganha um sabor ainda mais especial nos dias frios. O ensopado de carne com legumes traz molho espesso com sabor intenso e um inebriante perfume de especiarias. Não pode faltar o arroz branco, seu acompanhamento ideal. O prato, presente no dia a dia dos japoneses, propicia uma refeição que aquece, reconforta e também revigora.


Karê pan, karê de legumes e karê vermelho de frutos do mar: opções do menu especial do restaurante Aizomê.

Nesse mês, mais de 100 restaurantes e lojas de produtos japoneses estão participando do Mês do Karê, que acontece até o dia 31. Além do karê raisu, as casas estão servindo outras duas especialidades feitas com o curry japonês: o karê udon, macarrão com molho de curry; e o karê pan, pãozinho frito recheado com carne e legumes ao curry. São dois pratos menos conhecidos mas não menos saborosos, então aproveite para experimentá-los, caso ainda não os conheça.


Curry em pó, tablete, molho (pronto para consumo) e em flocos

Já as lojas de produtos japoneses estão com os itens com karê em destaque em suas gôndolas. Há quatro opções de curry: em pó, em tablete, molho e também em flocos (esse, uma novidade para mim). As lojas participantes estão com o selo Japanese Food Supporter Store, uma chancela para estabelecimentos que incentivam o uso de produtos genuinamente japoneses.


Dentre as lojas participantes está a rede Daiso, que tem 43 filiadas distribuídas pelo país. Já no setor de restaurantes, participam casas como Kinoshita (foto), Kurâ Izakaya, Nagayama, Hirá Ramen Izakaya e Aizomê (da chef Telma Shiraishi, Embaixadora da Boa Vontade para a Culinária Japonesa no Brasil), entre outros. O evento é uma promoção da Jetro (Japan External Trade Organization) e conta com o apoio da Embaixada do Japão e do Consulado Geral do Japão em São Paulo.

Receita de karê raisu

(Serve até 6 pessoas)

No Japão, a receita do karê raisu pode variar de uma região para outra. E cada família tem a sua. Essa é uma versão utilizando o curry em pó, que minha mãe costuma preparar e que ela aprendeu com a minha avó. Uma autêntica receita de família.

Ingredientes para o roux*:

– 2 colheres (sopa) de curry em pó (amarelo)

– 4 colheres (sopa) de farinha de trigo

– 2 colher (sopa) de manteiga Ingredientes para o ensopado:

– 500 g de costela suína em pedaços (ou pernil, copa-lombo)

– 4 dentes de alho amassados – 2 cebolas cortadas em cubos

– 4 batatas grandes cortadas em cubos

– 2 cenouras médias cortadas em cubos

– 1/2 xícara (chá) de óleo

– Água (aproximadamente 2 litros)

– Sal e pimenta-do-reino o quanto baste

– Cebolinha picada para finalizar

*O roux é um espessante utilizado na cozinha francesa feito com manteiga e farinha (na proporção de um para um). Adotei o termo apenas para facilitar a compreensão do preparo.

Comece com o preparo do roux e depois parta para o ensopado.

Preparo do roux:

Em uma frigideira, derreta a manteiga em fogo médio e adicione a farinha.

Mexa por 3 minutos, sem deixar queimar.

Adicione o curry em pó, mexa por mais 1 minuto e desligue. Deixe esfriar.

Faça uma pasta com o roux e dissolva no ensopado, já na fase final do cozimento.

Preparo do ensopado:

– Em uma panela grande, aqueça o óleo e doure a carne. Junte o alho e a cebola e refogue.

– Adicione as cenouras e as batatas.

– Tempere com o sal e a pimenta-do-reino e cubra com a água.

– Enquanto isso, dissolva o roux com 50o ml de água fria, aos poucos, formando uma pasta.

– Quando os legumes estiverem "al dente", adicione ao roux aos poucos, até obter a consistência desejada. Quanto mais roux você utilizar, mais grosso e mais picante vai ficar o molho.

– Cozinhe por mais 3 minutos, acerte o sal e finalize com a cebolinha picada. Sirva imediatamente com arroz branco e conservas japonesas.

Karê pan, do restaurante Aizomê.

Curiosidades e dicas:

– O curry é um condimento de origem indiana, tendo sido introduzido no Japão na Era Meiji (1868-1912). A versão japonesa tem como diferencial um caldo mais espesso, sabor mais suave e um toque levemente adocicado.

– O karê raisu é um dos pratos mais populares do Japão; há restaurantes especializados em seu preparo.

– O molho do karê tem intensidade variada, podendo ser classificado em três níveis: karakuchi (picante), chukara (meio picante) e amakuchi (suave).

– O karê é uma mistura de várias especiarias, como pimenta vermelha, cominho, gengibre, canela, cardamomo. Dentre elas destaca-se a cúrcuma, com conhecidas propriedades medicinais.

– É um prato de alto valor nutricional, tanto que foi o primeiro a fazer parte da merenda escolar quando o Japão unificou os cardápios, sendo uma das comidas favoritas das crianças japonesas.

– No Japão, o karê é consumido ao menos uma vez por semana. Seu boom se deu na década de 1950 ocasionado pela proliferação de TVs nas casas e pela veiculação de comerciais.

– Para usar o curry em pó, não salpique diretamente sobre o cozido. Faça sempre um roux, pois além de facilitar na hora de dissolver a pasta e engrossar o caldo, o preparo realça ainda mais o sabor do condimento. – O curry em tablete é muito prático: basta preparar um ensopado simples de legumes (com ou sem carne). Quando os legumes começarem a amolecer, dissolva os tabletes no molho e finalize o cozimento.

– Os acompanhamentos ideais para o karê raissu são as conservas japonesas, como o fukujinzuke (legumes em molho adocicado) e o rakkyo (cebolinha japonesa agridoce). Mas seu sabor marcante permite diversas combinações. Minha mãe, por exemplo, gosta de comer acompanhado de maçãs; já eu, gosto de comer com tudo: de uvas passas a mango chutney – e fica delicioso.

Aproveite essa friaca que se instalou em São Paulo e se jogue no karê! Prepare a receita em casa ou visite um dos restaurantes participante. Você vai entender por que o japoneses amam tanto esse prato.

(Fotos: Marcelo Katsuki/Folhapress e Rafael Salvador/Divulgação)

Fonte: Folha de São Paulo

Comunicar erro
Comentários