Com proposição de Tabosa, Câmara homenageia comunidade surda de Campo Grande

0
52

O vereador Marcos Tabosa (PDT) presidiu a sessão solene desta quarta-feira, dia 13, que outorgou a Medalha Legislativa “José Ipiranga de Aquino”, homenageando pessoas que se comunicam e se expressam em Língua Brasileira de Sinais – Libras. A comemoração foi instituída pela Resolução nº 1.372/2023, de autoria próprio vereador Tabosa, proponente da solenidade.

A medalha recebeu o nome de “José Ipiranga de Aquino”, primeiro líder da comunidade surda de Campo Grande, falecido em 2007. Quando jovem, estudou no Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES) no Rio de Janeiro, ao retornar trabalhou no jornal “O Matogrossense” até se aposentar. Tornou-se líder de maneira natural e espontânea, pois a comunidade surda o procurava sempre, carentes de acesso à educação, informações, orientações e até mesmo de Língua de Sinais.

Ao tomar conhecimento da existência de aproximadamente doze mil pessoas surdas em Campo Grande com alguma dificuldade de inclusão social, através de sua assessora parlamentar Karolyne Freitas, que atua com intérprete de Libras, o vereador Tabosa propôs uma data comemorativa no município de Campo Grande para celebrar o trabalho de pessoas que se expressam em Língua Brasileira de Sinais na capital.

Após apresentar o projeto na  Câmara Municipal e percorrer todas as comissões da Casa de Leis, Tabosa teve sua proposição aprovada pelos vereadores em plenário, instituindo o Dia 26 de setembro como a data comemorativa no município de Campo Grande, iniciando um importante trabalho de valorização dos profissionais que usam a Libras para se comunicar com os surdos, como também dar mais visibilidade a essa comunidade, possibilitando que elas tenham mais acesso aos serviços públicos com qualidade e respeito que merecem.

Para o vereador Tabosa, a valorização e o respeito aos surdos na sociedade são fundamentais para promover a inclusão e a igualdade de oportunidades para todas as pessoas, independentemente de sua capacidade auditiva. Aqui estão algumas maneiras de promover a valorização e o respeito aos surdos:

1. Educação inclusiva: Garantir que as escolas ofereçam educação inclusiva, onde surdos tenham acesso a intérpretes de língua de sinais, recursos pedagógicos adequados e apoio para desenvolver suas habilidades acadêmicas.

2. Comunicação acessível: Promover o uso da língua de sinais como uma língua legítima e ofereça intérpretes de língua de sinais em eventos públicos, reuniões governamentais e serviços essenciais, como hospitais e tribunais.

3. Sensibilização: Realizar programas de sensibilização para educar a sociedade sobre a cultura surda, os desafios que os surdos enfrentam e como podem melhorar a comunicação e a interação.

4. Emprego inclusivo: Incentivar a contratação de surdos em empresas e organizações, garantindo que eles tenham acesso a ambientes de trabalho acessíveis e tecnologia de apoio.

5. Acessibilidade digital: Certificar de que websites e aplicativos sejam acessíveis para surdos, incluindo legendas em vídeos, conteúdo em língua de sinais e design amigável para leitores de tela.

6. Acesso à informação: Disponibilizar informações em formatos acessíveis, como documentos em língua de sinais, legendas em vídeos, materiais impressos em braille e recursos de áudio para quem utiliza a língua de sinais.

7. Participação política: Garantir que os surdos tenham a oportunidade de se envolver na política e nas decisões governamentais, fornecendo intérpretes e materiais de campanha acessíveis.

8. Acesso a serviços de saúde: Treinar profissionais de saúde para se comunicarem eficazmente com pacientes surdos e garantam que serviços de interpretação estejam disponíveis em hospitais e clínicas.

9. Promova a autonomia: Incentivar a autonomia dos surdos, apoiando a educação bilíngue (língua de sinais e língua oral) e oferecendo oportunidades para que desenvolvam suas habilidades e interesses.

10. Combate à discriminação: Implementar leis e políticas que proíbam a discriminação com base na deficiência auditiva e garantam que os surdos tenham igualdade de direitos e oportunidades.

“É importante lembrar que a valorização e o respeito aos surdos não se limitam apenas a garantir acessibilidade física, mas também envolvem o reconhecimento de sua identidade cultural e o respeito por suas escolhas linguísticas. Respeitar a diversidade é fundamental para construir uma sociedade mais inclusiva e justa para todos”, justifica sua proposição o vereador Tabosa.

Como proponente da comenda, o vereador apresentou quatro personalidades surdas para serem homenageadas que atuam de alguma forma no desenvolvimento de Campo Grande. São eles: Carlos Magno Leonel Terrazas, Maurícia Oliveira de Aquino, Mauro Lucio Gondim e Stella Dana dos Santos.

CARLOS MAGNO LEONEL TERRAZAS, é graduado em Letras – Libras pela UFSC; pós-graduado em Educação Especial pelo Centro Universitário Leonardo da Vince – UNIASSELVI; mestre em Estudos da Tradução pela UnB; doutorando em Estudos da Tradução pela UFSC. Atualmente é professor do IFMS – Campus Campo Grande, atuando em cursos superiores, técnico integrado, formação inicial e continuada, bem como na realização de ações de pesquisa e extensão. Tem experiência nas áreas de formação de professores, atuando com a educação especial na perspectiva da educação inclusiva com ênfase em educação de surdos.

MAURÍCIA OLIVEIRA DE AQUINO é natural de Campo Grande, filha de José Ipiranga e d Rosa Oliveira de Aquino. Graduada em Letras- Libras pela Faculdade Uniasselvi, atuou como professora de Libras na Igreja Católica Matriz da Nossa Senhora da Conceição Aparecida.

MAURO LUCIO GONDIM, natural de Campo Grande -MS, é filho de pais ouvintes. Estudou na antiga escola para surdos CEADA, é o único desenhista famoso surdo de Campo Grande, recebeu diversas homenagens como destaque profissional na modalidade desenhista, destaque na comunidade surda ajudando a propagar visualmente sua língua materna – Libras. Trabalhou no Centro Estadual de Atendimento ao Deficiente da Áudio Comunicação – CEADA e no Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez – CAS. Atualmente trabalha como desenhista na Secretaria de Estado de Governo – SEGOV e fez toda a arte da sessão de homenagem.

STELLA DANA DOS SANTOS, natural de Curitiba/PR. Em 1997 veio para Campo Grande -MS. Estudou na antiga escola para surdos CEADA. Fez parte da primeira turma de alunos surdos na Escola Municipal Arlindo Lima e na Escola Estadual Joaquim Murtinho, onde completou seu Ensino Médio. Se formou em Técnica de Laboratório pela escola técnica do SUS. Trabalhou no laboratório clínico do Hospital São Julião por 17 anos. Atualmente Stella se dedica ao lar, cuidando de seus três filhos Sophia, Ícaro e Iago.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui