GODZILLA II: REI DOS MONSTROS

0
46
GODZILLA II: REI DOS MONSTROS

Com bilheteria bem abaixo do que se esperava, o filme de ação, que estreou nos cinemas em maio do ano passado, pode ser visto agora em DVD e Bluray, lançados recentemente pela Warner Bros. Eu curti mais que o “Godzilla” anterior, de 2014, e reúne os mesmos produtores (japoneses e americanos) e parte do elenco. O blockbuster de 2014 era escuro demais, o rei dos monstros aparecia depois de uma hora de projeção, e sempre na penumbra, gerando reclamação dos fãs. Trazia um monte de conflitos familiares, mais pegada de drama do que destruição e medo. Nessa parte II, mudaram o diretor, passando o bastão para o criativo Michael Dougherty, que havia ressignificado histórias clássicas de monstros do imaginário dos americanos, em “Conto do Dia das Bruxas” e “Krampus – O terror do natal”, e como era de se esperar, alterou parte do conceito visual de Godzilla e seus inimigos (a mariposa Mothra, que se torna aliada de Godzilla, e o dragão Ghidorah vinham de filmes scifi japoneses dos anos 50 e 60). Com a nova roupagem de Dougherty, Godzilla, por exemplo, solta uma descarga elétrica pela boca, enquanto o kaiju Ghidorah, um dragão de três cabeças, ficou mais indestrutível e raivoso.

Conflitos familiares ainda existem, mas menos, a maior parte deles com foco na personagem da garota Millie Bobby Brown (a Eleven de “Stranger things”). O que fizeram foi um bom entretenimento para atender a expectativa do público fiel de Godzilla: embate sem fim entre as criaturas, destruição para todos os lados. E sim, virou um espetáculo visual que supera os mais dignos jogos de videogame, com efeitos digitais fora de série! Está bom para você?

Sobre o elenco, resgataram nomes do Godzilla de 2014, como os coadjuvantes Ken Watanabe e Sally Hawkins, e privilegiaram novos personagens, agora interpretados por Vera Farmiga, Bradley Whitford, Ziyi Zhang, Kyle Chandler, a própria Millie e Charles Dance como um vilão. Continuo com a impressão de ser bem melhor que o anterior e, claro, sem comparação àquela bomba medonha que Roland Emmerich fez em 1998. Assista até o final dos créditos, há uma chamada para o terceiro filme de Godzilla, previsto para estrear em 2021, que será o esperado encontro dele com King Kong! É ver para crer!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui