- Advertisement -spot_img
17.8 C
Campo Grande
Início Tecnologia bZ4X é o primeiro eléctrico a bateria da Toyota e chega em...

bZ4X é o primeiro eléctrico a bateria da Toyota e chega em 2022

0
78
bZ4X é o primeiro eléctrico a bateria da Toyota e chega em 2022

Depois dos híbridos, dos híbridos plug-in e dos eléctricos alimentados por fuel cell a hidrogénio, como o Mirai, a Toyota apresentou finalmente o seu primeiro eléctrico a exclusivamente a bateria. Com uma denominação estranha (bZ4X), o novo modelo assume-se como um SUV da nova submarca criada pela marca nipônica para os seus eléctricos, a bZ, acrônimo de “beyond Zero”. O “4” é referente às dimensões do veículo, para o “X” referir a filosofia SUV.

O novo bZ4X tem um irmão gêmeo que vai ser comercializado com emblema Subaru, tendo sido desenvolvidos em conjunto. Concebido sobre a plataforma e-TNGA, o bZ exibe dimensões similares às do RAV4 e marca uma reviravolta na política da Toyota face aos elétricos a bateria, que agora vão finalmente começar a acelerar, depois de durante anos a Toyota ter acusado esta tecnologia de ser menos eficiente e mais poluente.

A Toyota não revelou pormenores sobre a capacidade da bateria, potência dos motores ou a autonomia, avançando apenas que a plataforma permite com a mesma facilidade conceber versões com apenas tração à frente, atrás ou com tração às quatro rodas. Apesar da informação divulgada ser feita referência à participação da Subaru na concepção e desenvolvimento do sistema AWD, a realidade é que este fabricante não é uma referência em veículos elétricos, em unidades de gestão de energia ou em transmissões que envolvam motores eléctricos.

Em relação ao habitáculo, o concept japonês apresenta um design mais alinhado pelo bom gosto japonês do que europeu, com um dos principais argumentos a estar relacionado com o sistema de direção by wire, o que significa que não há ligação mecânica entre o volante e as rodas. É esta opção tecnológica, rara entre modelos de grande produção, que permite que a Toyota ouse pensar em instalar um volante tipo manche de avião, similar ao que a Tesla introduziu com o restyling dos Model S e X. A baixa velocidade, ou seja durante as manobras de estacionamento ou inversões de marcha, a desmultiplicação da direcção passa a permitir dar apenas meia volta para cada lado, o que torna possível a utilização do estranho volante. E só com um volante onde falta a metade superior do aro é possível visualizar o painel de instrumentos na posição tão elevada onde se encontra, especialmente para indivíduos de determinadas estaturas ou com certas posturas ao volante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui