Após 70 anos, Lanchonete Oshiro encerra as atividades em Aquidauana

0
60
Após 70 anos, Lanchonete Oshiro encerra as atividades em Aquidauana

Com mais de 7 décadas de funcionamento, encerrou suas atividades em Aquidauana, na manhã desta quinta-feira (30), tradicional Lanchonete Oshiro, mais conhecida como Bar do Titen. Considerado um dos comércios mais antigos da cidade ainda em atividade, a lanchonete fechou suas portas e deixará saudades e muitos clientes fiéis agora órfãos, que faziam questão de começar as suas madrugadas com o cafezinho saboroso servido no espaço. Após tantos anos, tornou-se referência de ponto de encontro no amanhecer de aquidauanenses e anastacianos.

Relativamente pequena e com uma decoração simples, a lanchonete era a representação de um comércio do interior e esbanjava aconchego. Foi fundada por volta de 1950 pelo casal de japoneses Kameziro e Carmem Oshiro, que tinham antecedentes da cidade de Okinawa no Japão e se instalaram na região do pantanal sul-matogrossense, onde encontrava-se uma das grandes colônias japonesas do país. A estrada de ferro Noroeste do Brasil era um polo de desenvolvimento local e atraía trabalhadores de várias partes do Brasil.

Localizado bem no centro da cidade, na 7 de Setembro ao lado da Loja Pernambucanas, muitos comerciantes, gerentes e trabalhadores foram clientes por ali. O prédio onde funcionava a lanchonete abrigava também um dos primeiros salões de beleza da cidade, o Salão Vogue, que fechou em maio de 2018, após o falecimento de Janete Oshiro.

Quem recebeu a equipe O Pantaneiro para uma conversa foram as irmãs, as professora Sonia, Mieko e Cida Oshiro. Durante a entrevista, elas explicam que a decisão de encerrar as atividades ocorreu devido à idade e a rotina intensa, que quase não admitia um descanso merecido a quem esteve no trabalho por tantos anos.

Acordamos por décadas de segunda a sábado às 3h30 da manhã. Às 5 horas já tínhamos clientes do lado de fora aguardando a nossa porta abrir e já os esperávamos com o salgado quentinho

E não era a diversidade de itens, nem a grande estrutura que atraiam os clientes. Com pouca variedade de produtos, mas muito sabor envolvido, o simples cafezinho preto combinado com uma chipa ou a tradicional coxinha de mandioca é que garantiram tantos anos de fidelidade.

Da esquerda para direita, os irmãos Oshiro: Mieko, Tsiten, Sonia e CidaDa esquerda para direita, os irmãos Oshiro: Mieko, Tsiten, Sonia e Cida.

Da família numerosa de 14 irmãos em Aquidauana, apenas 6 conseguiram sobreviver e chegar a idade adulta: Janete, Mieko, Sonia, Tsiten, Eva e Cida. “O restante faleceu de disenteria e desidratação, já que, na época, os recursos de saúde eram muito escassos”, relembram. A infraestrutura da cidade também era bem diferente na época em que os pais decidiram abrir o estabelecimento. “Quando a gente abriu aqui, o poste era de madeira e ficava no meio da rua. Não havia nenhum tipo de calçamento”.

Após a partida da mãe, era Mieko a responsável pelo preparo dos salgados, até hoje aos 85 anos. Já os irmãos Cida e Tisten (fala-se Titen) ficavam no atendimento atrás do balcão. Ele atualmente está com a saúde um pouco mais comprometida e passa os dias descansando em casa.

Mas os desafios parecem não ser obstáculo para essa família. Nem mesmo a pandemia, que causou grande impacto nas empresas foi motivo de lamentação para os irmãos. “Nossos clientes fieis não deixaram de frequentar e não abriam mão do nosso café”. Ela ainda complementa: “Graças a Deus sobrevivemos a essa terrível doença”.

O Pantaneiro entrevistou dois clientes que há décadas frequentam o local. Luiz Guido Martins de Abreu, 66, o “Guido do laboratório”, por 30 anos passava na Lanchonete Oshiro todas as manhãs antes de começar o seu expediente de trabalho. Já Tinho Proença, é freguês desde criança, quando sua mãe passava algumas horas no Salão Vogue.

Tudo era feito com muita qualidade e tinha o melhor atendimento. Vai ser uma falta grande para nós em Aquidauana

Devido a família Oshiro residir no fundo do prédio, os salões não serão disponibilizados para locação após o encerramento das atividades da lanchonete, assim como o salão de beleza, que fora fechado há 3 anos. Neste ainda é possível encontrar a placa de identificação, o que traz a sensação de que o local está fechado apenas temporariamente. Para outros, a sensação da Lanchonete Oshiro é de uma lembrança boa do passado, da infância em terras aquidauanenses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui