Vereador Tabosa comemora o Dia Nacional da Libras

0
12

O Dia 24 de abril foi a data adotada pelo povo brasileiro para comemorar o Dia Nacional da Libras (Língua Brasileira de Sinais). Foi nesta data em 2002 que nasceu a Lei 10.436, reconhecendo oficialmente a língua brasileira de sinais como meio legal de comunicação e expressão. Porém, sua regulamentação só ocorreu em dezembro de 2005, incluindo libras como uma disciplina curricular obrigatória na formação de professores surdos, professores bilíngues, pedagogos e fonoaudiólogos.

Como ativo apoiador e participante das atividades dos profissionais que atuam na interpretação de Libras, o vereador Marcos Tabosa (PP) celebrou esta data como um importante marco no desenvolvimento de uma sociedade moderna e inclusiva, onde todos tenham as mesmas oportunidades. “O respeito e o carinho que tenho pelos surdos e pelos interpretes de libras me possibilitou a ser o único vereador a ter nesta legislatura uma interprete de Libras, a jovem Karolyne de Freitas, proficiente e acadêmica de Bacharel em Letras/Libras que realiza um excelente serviço para o meu mandato na comunicação com esse público e no apoio que ela realiza ao Legislativo Municipal”, celebrou o vereador, que também é presidente do SISEM (Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos de Campo Grande).

O profissional intérprete de Libras desempenha um papel fundamental na inclusão e acessibilidade de pessoas surdas ou com deficiência auditiva na sociedade. Aqui estão algumas das razões pelas quais esse profissional é importante:

Facilita a comunicação: O intérprete de Libras traduz a língua de sinais para a língua oral e vice-versa, facilitando a comunicação entre pessoas surdas e ouvintes.

Acesso à informação: Com o intérprete, pessoas surdas têm acesso a informações em eventos, reuniões, palestras, consultas médicas, audiências judiciais, entre outros contextos, garantindo seu direito à informação e participação.

Inclusão social: Ao permitir que pessoas surdas se comuniquem efetivamente em diferentes ambientes, o intérprete contribui para sua inclusão social e participação em atividades cotidianas.

Apoio educacional: Em ambientes educacionais, o intérprete auxilia alunos surdos a acompanhar as aulas, garantindo que recebam uma educação de qualidade.

Apoio emocional: O intérprete também pode fornecer apoio emocional, ajudando a estabelecer vínculos e a superar barreiras comunicativas que possam surgir.

Em resumo, o intérprete de Libras desempenha um papel essencial na promoção da inclusão e acessibilidade de pessoas surdas, garantindo que tenham as mesmas oportunidades de participar plenamente da sociedade.

A Libras, assim como várias outras Línguas de Sinais pelo mundo, possui origem na Língua de Sinais Francesa (LSF). E foi criada junto com o Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES), da qual fazia parte o abade francês Charles-Michel. Na metade do século XVIII, ele desenvolveu um sistema de sinais para alfabetizar crianças surdas que serviu de base para o método usado até hoje.

A linguagem que revolucionou a vida dos surdos chegou ao Brasil pelas mãos de outro francês: Ernest Huet, professor em Paris, que veio ao Brasil em 1855, visando fundar aqui uma escola para surdos. Com o apoio de D. Pedro II, fundou e dirigiu por cinco anos o Imperial Instituto de Surdos-Mudos, atual Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui