Único vereador do PDT na Câmara de Campo Grande diz que irá deixar partido caso apoiem Marquinhos Trad para governador do MS

0
60
Único vereador do PDT na Câmara de Campo Grande diz que irá deixar partido caso apoiem Marquinhos Trad para governador do MS

As Convenção que ditarão os rumos da campanha eleitoral no Mato Grosso do Sul tem início amanhã (22) e prometem definir os vices e os apoios partidários a cada concorrente ao cargo de governador do Estado.

O PDT, que este ano não lança nenhum candidato ao Governo do MS, monta chapa para deputado estadual e deputado federal.

Em convenção realizada ontem (20), o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, foi oficializado candidato à presidência da República, porém ainda não apresentou quem irá montar a chapa de vice junto a ele.

No Mato Grosso do Sul o apoio do partido ainda não foi definido. Nomes como os de Rose Modesto (União Brasil), André Puccinelli (MDB), Eduardo Riedel (PSDB) e Marquinhos Trad (PSD) são discutidos pelo PDT.

O Partido Democrático Trabalhista conta com apenas um vereador da legenda na Câmara Municipal de Campo Grande. Oposição ferrenha ao ex-prefeito da Capital, Marquinhos Trad, o parlamentar Marcos Tabosa declarou apoio a Puccinelli, e disse que caso o PDT resolva apoiar o candidato do PSD, ele deixará o partido.

“Se o PDT apoiar o Marquinhos irei deixar o partido e seguir outro rumo. Não concordo com as ideias dele e acho que ele foi um péssimo prefeito para capital. Irei reunir meu grupo político e seguir o que julgo ser o melhor caminho. Se querem se afundar e apoiarem o Trad, o problema é deles”, disse o vereador.

O tesoureiro nacional do PDT e presidente do diretório do partido no MS, Marcelo Panella, disse em entrevista ao jornal Correio do Estado que a atitude do vereador Marcos Tabosa é pessoal e não fala em nome do partido.

“Isso não condiz com a fidelidade partidária e com os bons princípios da decisão democrática. Ele é mandatário e pode tomar qualquer atitude, porém não fala em nome do partido. Iremos tomar a decisão de quem apoiar de forma democrática e de acordo com a vontade da maioria. Ainda estamos conversando para avaliar qual candidatura agregará mais votos para a candidatura do Ciro a presidência no estado”, comentou o tesoureiro.

Panella também disse que sondagens para vice de chapa para o governo do MS sempre existiram, porém ainda estão em conversa. O PDT se reúne para a convenção no dia 29 deste mês, às 17h, no Grand Park Hotel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui